Diretores da SEC e CFTC falam sobre sua visão de regulamentação da indústria de criptomoedas

O chefe da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), Jay Clayton, e seu colega da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC), Christopher Giancarlo, escreveram uma coluna conjunta para o Wall Street Journal sobre os problemas da indústria de criptomoedas do ponto de vista dos reguladores do mercado

Publicado em 31 de Janeiro de 2018 por

O chefe da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), Jay Clayton, e seu colega da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC), Christopher Giancarlo, escreveram uma coluna conjunta para o Wall Street Journal sobre os problemas da indústria de criptomoedas do ponto de vista dos reguladores do mercado. Em particular, foi considerada a questão da possível aplicação do quadro legal e regulamentar existente para regulamentar a economia do dinheiro digital.

Conforme observado por Clayton e Giancarlo, muitos comparam a tecnologia de registro distribuído à máquina a vapor e ao computador pessoal – que em suas épocas se tornaram a força motriz da economia.

Publicidade

Publicidade

Inicialmente, as criptomoedas foram posicionadas como uma alternativa ao dinheiro fiat para acelerar os pagamentos. No entanto, como enfatizam os gestores do mercado, sua percepção e promoção como ativos de investimento afetam negativamente sua alegada função como um meio de circulação.

Clayton e Giancarlo pediram aos investidores que permaneçam vigilantes devido aos elevados riscos, observando que alguns dos participantes do mercado realmente obtêm lucros substanciais. Eles também compararam a explosão do mercado de criptomoedas com a bolha de dotcoms no final da década de 90.

Ao mesmo tempo, os diretores não tentam, de forma alguma, convencer os consumidores a não investir na inovação, pois acreditam que reguladores devam apoiar o progresso tecnológico. No entanto, Clayton e Giancarlo estão preocupados com o fato de que muitas plataformas de criptomoedas não atendem aos requisitos da legislação vigente e nem sequer estão registradas na CFTC.

Publicidade

Publicidade

A maioria dessas plataformas se posicionam como sistemas de pagamento e não estão sujeitas à supervisão da SEC e da CFTC. Assim, acreditam os funcionários, é necessário questionar a eficácia do quadro regulamentar existente. Além disso, lembram eles, a legislação federal não é aplicada em todos os casos, o que complica a regulamentação por parte das autoridades federais.

O lançamento de futuros para Bitcoin pelo CBOE e CME foi aprovado pela Comissão de Negociação de Futuros, que obteve acesso a dados para acompanhar a atividades ilegais do mercado. A SEC, por sua vez, passou a focar no mercado de ICOs e “pretende processar ativamente aqueles que violam as leis de valores mobiliários”.

Resumindo, Clayton e Giancarlo reconheceram que a Blockcaain pode aumentar a produtividade dos processos econômicos e levar a um maior progresso tecnológico na esfera financeira.
Lembre-se de que anteriormente informamos que a SEC pediu a retirada de todas as propostas para a criação de ETFs Bitcoin devido a sérias dúvidas sobre a liquidez dos ativos básicos subjacentes aos novos instrumentos financeiros derivativos.

Além disso, a Comissão pretende estudar cuidadosamente as atividades de empresas que “inesperadamente” se mudaram para a esfera do desenvolvimento de Blockchain para setores comerciais tradicionais, e, consequentemente, passaram por um crescimento exponencial no preço de suas ações.

Chrys

Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment