A Whiteblock Inc., auditora de redes distribuídas, completou o teste de controle da Blockchain EOS. Após dois meses de pesquisa, analistas da empresa chegaram à conclusão de que o EOS é um sistema de gerenciamento de banco de dados homogêneo distribuído, e de que o mercado RAM é um serviço de computação em nuvem. Isso foi afirmado em um comunicado de imprensa.

A Whiteblock enfatizou que ainda o que exatamente os produtores de blocos podem criar no contexto da computação, não está claro, e que a própria rede enfrenta rupturas no algoritmo de consenso e pode estar vulnerável a erros bizantinos.

Adicionalmente, os analistas descobriram que a largura de banda do EOS é significativamente menor do que a indicada em materiais de marketing [abaixo de 50 Tps].

Vale notar que, como concluíram os especialistas da empresa, o EOS é construído na base de um modelo vulnerável, em que não há descentralização.

A auditoria foi encomendada através da plataforma Bounties Network pela startup ConsenSys.

Lembramos que anteriormente, surgiram informações na rede de que produtores de blocos do EOS poderiam participar de votos mútuos. Em particular, as acusações mencionavam a corretora Huobi, que nega qualquer envolvimento em possíveis manipulações.