O fundo canadense de Bitcoin First Block Capital anunciou que recebeu uma licença para seu principal produto, o FBC Bitcoin Trust, o que permite que ele aceite fundos de investidores credenciados para contas não tributáveis (TFSA) e contas de aposentadoria acumuladas registradas (RRSPs).

O fundo canadense de Bitcoin First Block Capital anunciou que recebeu uma licença para seu principal produto, o FBC Bitcoin Trust, o que permite que ele aceite fundos de investidores credenciados para contas não tributáveis (TFSA) e contas de aposentadoria acumuladas registradas (RRSPs).

“O First Block Capital oferece aos investidores a oportunidade de investir em instrumentos regulados e abertos à auditoria com base em criptomoedas e Blockchain. Nossa equipe está muito orgulhosa do seu papel de liderança no mercado e continuará a desenvolver produtos de investimento nesta área”, disse Sean Clark, cofundador e chefe do First Block,

Investidores do FBC Bitcoin Trust podem investir em Bitcoin sem ter que lidar com moeda digital em si. As unidades de confiança são tratadas como investimentos qualificados usados por fundos mútuos e regulados pela legislação tributária. Durante o primeiro ano da existência do fundo, o número de investidores ultrapassou 150.

“Continuamos a empurrar o Canadá na direção de se tornar líder no campo de investimentos regulamentados em Blockchain e criptomoedas. Nosso objetivo é tornar os investimentos em ativos digitais mais acessíveis e estamos um passo mais perto de alcançá-lo”, afirmou Mark Van der Chijs, co-fundador e chefe do fundo de investimento First Block.

Além disso, a oportunidade de comprar ações da FBC Bitcoin Trust foi disponibilizada na plataforma NEO Connect sob o ticker FBCBT. Consultores de investimentos podem comprar e vender ações em nome de investidores credenciados, de maneira similar a um ETF.

Vale notar que, como resultado de uma operação com o nome-código “Limpeza criptográfica” (Crypto-cleansing em inglês), organizada pela Associação Norte-Americana de Administradores de Valores Mobiliários (NASAA), reguladores dos EUA e do Canadá iniciaram mais de 200 investigações sobre ICOs e produtos de investimento baseados em criptomoedas. É possível ler mais sobre isso aqui.