Fundador da MtGox, Mark Carpeles, vai a julgamento

O CEO e fundador da corretora de Bitcoin MtGox, Mark Carpeles, comparecerá esta semana diante de um tribunal no Japão para de se defender das acusações de roubo, desvio e desperdício de centenas de milhões de dólares de investidores.

Publicado em 10 de julho de 2017 por

O CEO e fundador da corretora de Bitcoin MtGox, Mark Carpeles, comparecerá esta semana diante de um tribunal no Japão para de se defender das acusações de roubo, desvio e desperdício de centenas de milhões de dólares de investidores. Isso foi relatado pela AFP.

O empresário francês de 32 anos foi o fundador da corretora MtGox, através da qual, entre 2011 e 2013, foram realizadas importantes negociações da criptomoeda. Em muitos aspectos, graças à atividade da MtGox, o preço do Bitcoin superou pela primeira vez a marca de US$ 1000. No entanto, com o colapso da corretora, esse valor caiu drasticamente.

Publicidade

Publicidade

A MtGox era sediada em Tóquio e, em certo estágio, foi a maior plataforma de negociação do ecossistema Bitcoin. O grau de dominância da MtGox cerca de 70% de todas as transações com a moeda criptográfica.

No início de 2014, a MtGox, foi acusa de fraudes, o que levou a sua eventual quebra. O próprio Mark Carpeles alegou que a plataforma havia sofrido um ataque de hackers, mas um estudo da empresa japonesa WizSec, publicado em abril de 2015, mostrou que a MtGox começou a retirar fundos já em 2011 e, em 2013, praticamente já não haviam mais fundos na corretora.

O valor das perdas dos investidores da MtGox está estimado em 850,000 BTC. Naquela época, esse valor era de cerca de US$ 480 milhões, entretanto, na taxa de mercado de hoje, esse valor remonta bem mais de US$ 2 bilhões.

Publicidade

Publicidade

Em agosto de 2015, Karpeles foi preso e, depois de algum tempo, ele foi formalmente acusado de roubo e desfalque na empresa, o que resultou em prejuízos para milhares de clientes.

Tanto quanto sabemos, o francês abusou de um estilo de vida luxuoso, alugando uma cobertura em Tóquio por US$ 11.000 por mês, comprando produtos e serviços extremamente caros, incluindo os de prostitutas.

No entanto, menos de um ano depois – em julho de 2016 – Karpeles estava em liberdade, o que foi obtido depois de pagar uma fiança de 10 milhões de ienes. Nos termos do acordo com as autoridades, Karpeles está proibido de deixar o Japão, ele também recusou qualquer comunicação com a imprensa.

Kiichi, advogado que defende Karpeles afirma que seu cliente alegará inocência de todas as acusações.

“Ele está calmo e pronto para o julgamento”, disse o advogado.

Em junho, os representantes da startup de blockchain Chainalysis disseram que sabiam o paradeiro de 650,000 BTC, que supostamente desapareceram das contas da MtGox.

Além disso, no papel de intermediário na investigação das circunstâncias da falência da MtGox está a também corretora de criptomoedas Kraken. Em 2016, ela anunciou a conclusão da revisão e determinação do status de todas as reivindicações dos clientes quanto ao retorno dos fundos perdidos.

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment