A tendência ascendente que perdurou nas duas últimas semanas terminou com uma profunda correção nesta quarta-feira, dia 25 de abril, quando o Bitcoin, quase superando os US$9,8 mil, perdeu mais de US$1 mil em valor em menos de 12 horas e provocou a queda do restante do mercado criptomonetário.

Analistas da Fundstrat Global Advisors estão convencidos de que, depois de superar as baixas de fevereiro em torno de US$5,92 mil, o preço do Bitcoin pode cair para marcas na faixa de US$5 mil – 5,5 mil. Isto foi afirmado no relatório da empresa.

“Nesta semana, quase todas as criptomoedas quebraram importantes níveis de apoio. Para o Bitcoin, esses níveis estavam entre US$7.355 e US$7.058. Agora, muitos ativos estão testando/quebrando os próximos níveis importantes. Em particular, o BTC está em níveis baixos recordes de abril em torno de US$6.450”, diz o documento.

Segundo analistas, o preço da Primeira Moeda pode cair bem abaixo dos níveis atuais, até a linha de tendência de longo prazo, que teve início em meados de 2015:

Fundstrat: queda do Bitcoin para US$3,2 mil não quebrará tendência de alta de longo prazo. BTCSoul.com

Dados fornecidos por: Fundstrat Global Advisors, Bloomberg

Fala-se de uma marca na área de US$3,25 mil, que representa uma correção de mais de 80% do máximo histórico do Bitcoin (mais de US$19 mil) registrado no final do ano passado.

Assim, os analistas estão convencidos de que mesmo uma correção tão profunda não quebrará a tendência de alta de longo prazo.

A Fundstrat nota também que uma dinâmica semelhante no preço do Bitcoin foi observada entre os anos de 2013-14.

Apesar da profunda correção no mercado, anteriormente, a Fundstrat calculou preço do Bitcoin em US$36 mil até o final de 2019.