Goldman Sachs: Bitcoin não é digno da minha atenção

Um porta-voz do banco líder em investimentos, Goldman Sachs, confirmou que a organização contratou o profissional e graduado trader do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), Justin Schmidt, para o posto de vice-presidente e chefe do departamento de mercados de ativos digitais dentro da divisão de valores mobiliários do banco.

Publicado em 20 de junho de 2018 por

O CEO do Goldman Sachs, Lloyd Blankfein, disse que o Bitcoin não merece sua atenção, e estatou que ele próprio não usa moedas criptográficas. Isso foi relatado pela Bloomberg.

“Eu não faço isso. O Bitcoin não é meu”, afirmou ele.

Mais cedo, Lloyd Blankfein afirmou que sente “um certo nível de desconforto” no Bitcoin, embora, em geral, ele esteja aberto às criptomoedas. Segundo o CEO do Goldman Sachs, no futuro, se o Bitcoin assumir uma significativa fatia do mercado financeiro, isso se deverá à evolução natural do dinheiro.

Apesar da atitude indiferente em relação às moedas digitais, Lloyd Blankfein observou que sua empresa está pronta para criar uma série de soluções para clientes que desejem interagir com ativos digitais. Dentro do mesmo contexto, em dezembro de 2017, por exemplo, o Goldman Sachs anunciou planos de criar uma plataforma de negociações para moedas digitais.

Por fim, vale destacar que em outubro de 2017, o Bitcoin superou a capitalização do Goldman Sachs, cujo valor de mercado chegou a 92,9 bilhões de dólares.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment