Hackers lavam 40% dos fundos roubados da Coincheck

Os hackers que roubaram 500 milhões de tokens NEM (XEM) da corretora japonesa Coincheck no final de janeiro, podem, no momento, já ter lavado a maior parte dos fundos. Isto foi relatado pela Nikkei com referência aos dados de pesquisa da empresa L Plus, baseada em Tóquio e especializada em segurança cibernética.

Publicado em 14 de Março de 2018 por

A empresa de consultoria L Plus, com sede em Tóquio, realizou um estudo e descobriu que os hackers que quebraram a Coincheck já haviam lavado 200 milhões de XEM – até 10:30 UTC de 13 de março, foram lavados US$ 90 milhões. No entanto, a maior parte provavelmente foi vendida nos mercados da darknet, onde o preço poderia diferir significativamente do preço médio ponderado, disse Nikkei.

As fontes da publicação relataram à polícia de Tóquio que a maioria das moedas foi convertida em Bitcoins e que provavelmente, em breve ela será retirada como dinheiro fiat. No entanto, ainda não está claro se os intrusos já coseguiram retirar alguma parte dos fundos.

Os responsáveis pela lei também acreditam que os invasores acesso a uma carteira quente com 500 milhões de moedas XEM, hackeando um e-mail de um dos funcionários da Coincheck e configurando o controle sobre a chave privada.

À época, o montante das moedas roubadas foi de US$530 milhões, o que fez esse ataque um dos maiores roubos da história da indústria, juntamente ao ataque à MtGox. Atualmente, o preço total destes fundos não excede US$227 milhões.

Lembramos que a Coincheck anunciou que havia começado a pagar uma compensação aos clientes usando a taxa de 88,549 ienes (cerca de US$0,83) por um token NEM.

De acordo com a Bitcoinist, 260 mil clientes já receberam uma compensação no montante de 46,3 bilhões de ienes (US$433 milhões), sendo que no contexto desta notícia, a taxa média ponderada do XEM aumentou em mais de 10%.

Hackers lavam 40% dos fundos roubados da Coincheck. BTCSoul.com

Além disso, negociações em Bitcoin, Bitcoin Cash, Ethereum, Ethereum Classic, Ripple e Litecoin foram parcialmente retomadas na plataforma – a capacidade de realizar transações com outros ativos digitais aparecerá um pouco mais tarde.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Publicidade

Publicidade

Leave a Comment