Muitas empresas trabalham atualmente no desenvolvimento de blockchains, porém, nenhuma delas tem tanta expressividade quanto a IBM Corporation e sua manada de blockchains.

A IBM, uma das principais empresas de TI do globo, solicitou uma patente para uma tecnologia baseada na Blockchain e que permitirá restringir o acesso dos jogadores em realidade aumentada (AR) a lugares proibidos. O Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos publicou o pedido no dia 1 de novembro.

O documento descreve as interações entre dispositivos móveis com AR e objetos do mundo real. O sistema baseado em Blockchain definirá os limites dos locais aceitáveis para os jogadores e garantirá que esses limites não sejam ultrapassados. Um registro distribuído protegerá os dados acumulados contra alterações e falsificações.

Com a nova tecnologia, os smartphones poderão receber informações sobre se este ou aquele terreno é indesejável para os jogadores. A tecnologia desenvolvida também permitirá modificar certos objetos AR proibidos e exibi-los na tela do smartphone.

A realidade aumentada é uma tecnologia na qual o usuário, usando um dispositivo especial, vê objetos virtuais além de objetos reais. Na patente, a empresa explica que a realidade aumentada está ligada ao terreno, já que pode haver muitos objetos de jogo neste terreno. A Blockchain fornecerá uma interconexão entre lugares reais e jogos AR vinculados a locais específicos.

Lembramos que no início de outubro, a IBM lançou um projeto de Blockchain que visa ajudar a controlar as cadeias de fornecimento de alimentos.