Recentes eventos nos mercados de câmbio levaram a um crescimento acentuado nos preços do ouro, enquanto o Bitcoin, apesar de ter crescido também nos últimos dias em termos de preço, está mostrando resultados mais modestos.

Recentes eventos nos mercados de câmbio levaram a um crescimento acentuado nos preços do ouro, enquanto o Bitcoin, apesar de ter crescido também nos últimos dias em termos de preço, está mostrando resultados mais modestos. Isso obriga os especialistas financeiros a concluir que a instável situação em torno do Bitcoin está forçando os investidores a se voltarem para um ativo seguro e bem testado: o ouro.

Na semana passada, no contexto da volatilidade dos mercados cambiais causada, entre outras coisas, por ameaças dos Estados Unidos, Grã-Bretanha e França de ataques com mísseis contra instalações químicas na Síria, o preço do ouro atingiu seu pico desde agosto de 2016 (US$1.369,4 por onça). A taxa de Bitcoin também cresceu até US$8 mil. No entanto, a Primeira Moeda apenas restaurou suas posições do final de março, sendo que, olhando para os marcadores de preço desde o começo do ano, o mesmo perdeu cerca de 40% de seu valor.

Como se sabe, o Bitcoin não se tornou popular immediatamente após seu advento, e sim no período entre 2010 – 2013, quando os mercados mundiais estavam passando pela fase das chamadas “guerras cambiais” envolvendo os EUA, China, UE, Japão e alguns outros países que procuram reduzir suas taxas de câmbio para apoiar os produtores nacionais. Constantes e imprevisíveis saltos nas moedas tradicionais levou mais e mais pessoas começaram a investir em criptomoedas, o que lhes permitiu começar a gradualmente roubar do ouro o título não oficial de principal ativo de refúgio.

Os eventos dos últimos meses – quando a taxa de Bitcoin começou a cair rapidamente, e cada vez mais governos começaram a restringir as operações no território de seus países – levaram à perda de confiança no Bitcoin e aumento da demanda por ouro por parte dos investidores tradicionais, ou, pelo menos, esse é o ponto de vista de alguns especialistas.

“No momento, estou apostando em ouro. O ouro está roubando a reputação de um ativo defensivo importante do Bitcoin, já que o último perdeu muito em valor nos últimos dois meses”, afirmou Boris Schlossberg, diretor-gerente de mercados de câmbio da BK Asset Management, falando na CNBC.

Alguns analistas sugerem que a mudança do líder na corrida pelo título de “ativo de refúgio mais seguro” pode ter um caráter de longo prazo. O revisor do portal Market Mogul, John Howe, acredita que o que está acontecendo agora com o Bitcoin é a mesma coisa que aconteceu com o ouro: uma diminuição na confiança do investidor causada não apenas por flutuações momentâneas. Ele também relembra os eventos das décadas de 1960 e 1970, quando o padrão de ouro secular foi enfraquecido como resultado do conflito entre os EUA e a França.

“O ouro era a moeda principal e todos os pagamentos eram garantidos por ouro. No entanto, em algum momento ficou claro que o ouro se tornou muito lento para manter a dinâmica do capitalismo… O suprimento de ouro cresceu mais lentamente que a economia mundial. Isso levou a uma redução na quantidade de dinheiro em relação ao crescente número de transações. A redução resultante na liquidez e a rejeição da reavaliação do ouro levaram a consequências deflacionárias”, explicou John Howe.

Uma situação semelhante, em sua opinião, pode ser observada agora com o Bitcoin, e isso se deve não apenas à recente queda na taxa de câmbio, mas a vários outros fatores, entre eles, a mineração de agiotagem e aumento dos custos de mineração de Bitcoin, comissões de transação – que cresceram para valores recorde, provocando várias grandes empresas, incluindo a Steam, a parar de aceitar pagamentos nessa criptomoeda –, bem como um número ainda insuficiente de revendedores e comerciantes profissionais qualificados.

“A crescente regulamentação dos governos, a baixa liquidez, a alta volatilidade e os crescentes custos do consumo de energia continuam reduzindo a capacidade do Bitcoin”, concluiu o analista.

Note que no entanto, nem todos concordam com esta opinião. O atual crescimento das criptomoedas reflete a influência dos mesmos fatores geopolíticos que tendem a levar a um aumento em períodos de escalação. Este poderia ser um perigoso indicador para o Fed, dizendo que, em caso de um real conflito, os investidores podem começar a se livrar do dólar em pânico. Isto inevitavelmente causará uma crise dos mercados financeiros e aumentará os preços, não apenas do ouro, mas também do Bitcoin, que, aos olhos de muitos investidores, ainda é um bem valioso.  

Lembramos que o relatório The Wealth Report 2018, divulgado em março, argumentou que as criptomoedas já superaram o ouro e os valores mobiliários em termos de crescimento da atratividade do investimento.