Trevon James, ex- investidor e promotor do projeto de criptomoedas BitConnect, afirmou que os agentes do Gabinete Federal de Investigação dos EUA o interrogaram sobre o envolvimento dele nas atividades da empresa.

De acordo com dados da DeadCoins e Coinopsy, aproximadamente mil projetos relacionados à criptomoedas falharam em 2018, boa parte deles, foram conhecidos como vítimas do mercado de urso.

Muitos desses projetos que falharam eram golpes orquestrados sob o disfarce de ICOs. A BitConnect encabeça uma longa lista de esquemas de moedas digitais abandonadas e/ou fraudulentas. O caso do BitConnect ficou muito conhecido e é considerado um dos maiores esquemas relacionados à criptomoedas da história.

O “ícone” (e meme) da Bitconnect, Carlos Matos…

Não é difícil de entender como uma “cripto” que tinha o vídeo acima como maior impulsionador acabou encabeçando essa lista. Em outra matéria recente, a BitConnect também figurou como uma das moedas “mortas” por 2018, mas a lógica clama que não foi o mercado que assassinou essa cripto, mas sim o “modelo de negócios”.

Coinopsy: 483 projetos de moeda digital inativos

A Coinoipsy encontrou 483 projetos de moedas digitais que não estão mais ativos, contudo, a Deadcoins foi além, encontrando ao menos 934 moedas digitais que estão mortas. Em julho de 2018, a Deadcoins relatou que cerca de 800 tokens de criptomoedas foram abandonados.

De acordo com Coinopsy, uma criptomoeda pode ser considerada morta se o seu token ou moeda for abandonada por seus fundadores, for uma farsa e/ou seu site estiver morto. Um projeto de critpomoeda também pode ser considerado morto se sua moeda não tiver volumes de negociação ou nós de validação de transação para suportá-lo. Se houver problemas técnicos não resolvidos com o software que suporta a criptomoeda, como problemas com carteiras usadas para armazená-lo, a criptografia pode ser considerada inativa.

Notavelmente, a Coinopsy categorizou moedas mortas como:

  • ICO Dead Coins;
  • Joke Dead Coins;
  • Abandoned Dead Coins;
  • Scam Dead Coins.

Atualmente, há 113 moedas na categoria ICO Dead Coins identificadas pela Coinopsy, o que significa que esses projetos lançaram uma ICO, mas nunca entregaram um produto ou atualizações sobre o desenvolvimento contínuo de sua plataforma

Os tokens de criptomoedas também podem ser classificados como moedas mortas de ICOs (pela Coinopsy) se forem usados ​​para realizar esquemas de pump-and-dump ou outros tipos de manipulação de mercado, enquanto não houver qualquer adoção real.

Wall Street Journal encontra Whitepapers  plagiados

De acordo com a Coinopsy, uma “Joke Dead Coins”, é toda criptomoeda lançada com a intenção de apenas ser uma “brincadeira” e não possuir um plano sério de se transformar em um ativo digital útil.

Atualmente, há 17 moedas listadas nesta categoria. Além disso, a Coinopsy encontrou ao menos 40 projetos que se encaixam como Scam Dead Coins e 313 na categoria “Abandoned Dead Coins”.

A Coinopsy explica que um token pode ser considerado morto se ficar abaixo de 1.000 em termos de capitalização de mercado por 3 meses consecutivos. Um token cujo volume de negócios está abaixo de US$ 1.000 por 3 meses também está acabado.

Recentemente, o Wall Street Journal (WSJ, na sigla em inglês) também analisou projetos inativos de criptomoedas. As últimas descobertas de pesquisa do WSJ mostraram que mais de 15% dos projetos de criptomoedas que levantaram fundos via ICOs durante 2017 e 2018 haviam plagiado os documentos ou simplesmente copiado idéias de outras criptos. Houve também um número bastante grande de projetos de ICOs que prometeram “retornos improváveis” e falharam na entrega, Relata o WSJ.