Minter anuncia integração com projeto TON

O Telegram criou o primeiro serviço para a plataforma TON (Telegram Open Network) para armazenamento de dados pessoais, o denominado Telegram Passport. Clientes poderão fazer upload de documentos, dados do passaporte e detalhes para pagar com criptomoedas.

Publicado em 16 de outubro de 2018 por

O projeto Minter, responsável por desenvolver a criptomoeda BIP para micropagamentos diários, anunciou a integração com o projeto TON, de Pavel Durov. A integração permitirá que os usuários do projeto usem contratos inteligentes, troquem moedas e aproveitem outros recursos da tecnologia TON.

O projeto Minter, responsável por desenvolver a criptomoeda BIP para micropagamentos diários, anunciou a integração com o projeto TON, de Pavel Durov.

A criptomoeda BIP é projetada para ser de fácil e rápida utilização e seu sistema emprega o algoritmo de consenso DPoS (Delegated Proof-of-Stake), que é usado também pelo projeto Dash. Representantes do projeto afirmam que a criação de um bloco no sistema Minter leva 5 segundos, e que cada bloco pode incluir até 10 mil transações. Desenvolvedores do Minter observam que sua solução permite que as transações sejam concluídas mais rapidamente do que na rede do Bitcoin. Neste caso, a comissão para transferência ou troca de qualquer quantia não excederá 1 centavo.

“Na rede Bitcoin, a validação completa de uma única transação pode levar até 20 minutos. Isso é um dos motivos pelos quais o Bitcoin é tão inconveniente para empresas como meio de pagamento”, afirmaram os desenvolvedores.

Minter anuncia integração com projeto TON. BTCSoul.com

Com a ajuda do Minter, é possível emitir moedas próprias: um análogo de tokens na base do Ethereum. Uma empresa qualquer pode usar as moedas emitidas como forma de pagamento de bens e serviços e trocá-las facilmente por BTC, ETH ou USD.

“O interesse público em criptomoedas está crescendo, mas as empresas, apesar das vantagens óbvias da Blockchain e do sistema criptomonetária, não querem lidar com riscos tecnológicos e com a volátil taxa de câmbio dos ativos digitais. Para acelerar a adoção de tokens, é preciso ter projetos funcionais e rápidos que oferecem um sistema simples de emissão de moedas e sua operação instantânea na rede. É exatamente para isso que estamos desenvolvendo o nosso projeto”, afirmou um representante do projeto Minter.

De acordo com o WhitePaper do projeto, o sistema conta com três funções para usuários:

  • delegados: detentores de BIP que podem transferir moedas para o gerenciamento do validador para confirmar transações na rede;
  • validadores: principais nós da rede que confirmam transações, recebendo uma comissão;
  • coiners: criadores de suas próprias criptomoedas na Blockchain Minter.

Após integração com o projeto TON, usuários poderão efetuar login usando o Telegram Passport – a empresa alega que, graças a essa decisão, todo o procedimento de verificação levará cerca de dois minutos. A função TON Payments permite que o usuário efetue pequenos pagamentos regulares em moedas emitidas através do Minter. Além disso, a integração permitirá a transferência de moedas Minter para a Blockchain TON e utilização de contratos inteligentes do TON no sistema Minter.

De acordo com representantes do projeto, graças ao serviço de armazenamento de informações (TON Storage), os usuários terão controle total sobre seus dados de conta na rede trustless da TON.

Além disso, o projeto pretende conduzir um airdrop de tokens BIP e moedas criadas com base neles em um total de 1 mil BTC. O Minter está agora fazendo uma campanha de acesso antecipado para distribuir tokens BIP internos. Em seu canal oficial do Telegram, a equipe do projeto convida os usuários a participar da discussão da plataforma e da integração com a TON.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment