Nova mineiradora da GMO Internet promete superar Antminer S9

A empresa de tecnologia GMO Internet, com sede em Tóquio, apresentou a B2, primeira mineradora de Bitcoin totalmente desenvolvida no Japão. De acordo com seus indicadores, a mineradora supera outros dispositivos mais conhecidos para a produção de criptomoedas.

Publicado em 6 de junho de 2018 por

A empresa de tecnologia GMO Internet, com sede em Tóquio, apresentou a B2, primeira mineradora de Bitcoin totalmente desenvolvida no Japão. De acordo com seus indicadores, a mineradora supera outros dispositivos mais conhecidos para a produção de criptomoedas. Isso foi relatado pela Finance Magnates.

A apresentação do dispositivo ocorreu nesta terça-feira, 5 de junho. Segundo as informações divulgadas, a B2 é a primeira mineradora a utilizar chips semicondutores de 7 nm – a Antminer S9 da Bitmain, por exemplo, usa chips de 16 nm, enquanto a DragonMint da Halong Mining usa chips de 10 nm, cuja produção é supostamente controlada pela Samsung.

Como o repórter da Bloomberg Yuji Nakamura escreveu no Twitter, o desenvolvimento da B2 foi realizado no Japão, embora os próprios chips para novos dispositivos sejam fabricados em Taiwan, provavelmente pela TSMC, que também fornece seus produtos para a Bitmain.

A GMO vê o lançamento de sua própria mineradora como o primeiro passo na sua competição com a Bitmain da China, que atualmente é responsável por cerca de 80% de todas as mineradoras ASIC do mundo. Note que, de acordo com a empresa japonesa, com um consumo de energia de 1950 watts, o desempenho da B2 é de 24TH/s, enquanto o desempenho da Antminer S9 é de 14TH/s.

“Tenho respeito pela Bitmain, mas vamos superá-la”, afirmou Masatoshi Kumagai, CEO da GMO.

Em termos de política de preços, o dispositivo japonês é mais caro: US$1.999 para a B2 contra US$837 para a Antminer S9.

A empresa espera também que os dispositivos B2 ajudem a GMO no desenvolvimento de sua própria atividade dentro do ramo: em maio, ela extraiu 472 BTC e 37 BCH. O hashrate agregado da empresa atingiu 299 PH/s, sendo que ainda em dezembro do ano passado, esse valor era de 22 PH/s. Até o final do ano, a GMO espera atingir o nível de 3 mil PH/s.

Sabe-se que a empresa começará a aceitar ordens preliminares para a B2 em 6 de junho; espera-se que os primeiros dispositivos são esperados em outubro.

Em setembro de 2017, o GMO Internet Group anunciou planos de investir US$320 milhões na indústria de mineração e na criação de chips de nova geração. Segundo representantes do gigante japonês, o Bitcoin destina-se a se tornar uma “moeda universal” que fornece “liberdades econômicas ilimitadas”.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment