Novo surto: Bitcoin cresce 40% em 40 horas e 1500% no ano

O valor do Bitcoin subiu cerca de 40% em 40 horas – de US$12 mil para US$16 mil. Em algum ponto desse período, a moeda chegou a atingir um pico de US$18 mil, dessa forma, o crescimento anual da principal moeda criptográfica já é de 1500%.

Publicado em 8 de dezembro de 2017 por

O valor do Bitcoin subiu cerca de 40% em 40 horas – de US$12 mil para US$16 mil. Em algum ponto desse período, a moeda chegou a atingir um pico de US$18 mil, dessa forma, o crescimento anual da principal moeda criptográfica já é de 1500%.

Na Bithumb, maior corretora de criptomoedas da Coréia do Sul, no momento da publicação, o Bitcoin atingiu um preço de US$19.399 – no momento de pico chegou a valer US$21mil –, o que é muito maior que o preço médio praticado pelas maiores corretoras mundiais.

Já há algum tempo os investidores se acostumaram com a alta volatividade das criptomoedas, em especial do Bitcoin, mas este surto tornou-se excepcional e provavelmente atingiu aqueles que investiram pela primeira vez na moeda digital algumas semanas atrás.

Publicidade

Brian Hoffman, CEO da plataforma de negociação descentralizada OpenBazaar, disse em entrevista ao Wall Street Journal:

“Dois membros da minha equipe compraram casa. Enquanto seus amigos e parentes compram carros e casas.”

Esse forte impulso contribui para atrair os recém-chegados, o que, por sua vez, estimula o crescimento.

Além disso, alguns eventos importantes ocorreram dentro da comunidade Bitcoin. Um deles foi a notícia sobre o teste bem-sucedido da tecnologia Lightning Network, que está sendo desenvolvida para aumentar a quantidade e velocidade das transações na rede do Bitcoin. No futuro, isso ajudará a aumentar o volume de negociação.

Outro deles foi o começo iminente dos futuros de Bitcoin do CME Group e CBOE, que prometem atrair mais investidores institucionais ao mercado, sob a premissa de que os mesmos poderão cobrir riscos e apostar na redução do Bitcoin. Isso pode afetar muito o otimismo prevalecente no mercado.

Nas palavras do CEO da corretora de criptomoedas BRaziliex, Ricardo Rozgrin:

“O mundo está descobrindo o Bitcoin. A cada dia, milhares de pessoas interagem com o Bitcoin pela primeira vez. Cada vez mais, grandes players do mercado mundial, como a Bolsa de Chicago, percebem que as criptomoedas vieram para ficar. Quem entendeu a tecnologia e a segurança oferecida pelo protocolo do Bitcoin pode apostar com mais facilidade em sua valorização”.

Agora é difícil fazer previsões e dizer que não haverá grandes flutuações nos preços. A volatilidade já forçou muitos investidores importantes a abandonar o mercado.

Enquanto isso, o Bitcoin conquista novos territórios. Um ano atrás, o Japão e a Coréia do Sul eram uma parte insignificante do mercado, sendo que agora o primeiro representa cerca de 60% do volume total de negócios, com o Bitcoin podendo ser usado para qualquer coisa imaginável no país.

Os sul-coreanos também apoiam ativamente o Bitcoin, elevando seu preço nas corretoras locais. O fundador e CEO da Bitmex Bitcoin Stock Exchange, disse:

“Os coreanos se tornaram familiarizados às novas tecnologias e recursos digitais antes dos outros. Esse fenômeno cultural é mais notável lá que nos países ocidentais.”

O interesse no Bitcoin e nas criptomoedas continua a crescer, sem prestar muita atenção às más notícias ou previsões catastróficas. Vale lembrar, por exemplo, que o serviço de mineração NiceHash, foi hackeado, fazendo com que seus usuários perdessem mais de US$63 milhões.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment