Pequenos Bancos manuseiam criptomoedas em desafio à tendência europeia

O Bitcoin recebeu outro poderoso impulso para adoção em massa: seu logotipo foi projetado na construção do Banco Nacional da Suíça, em Zurique.

Publicado em 15 de Fevereiro de 2018 por

Alguns pequenos bancos da Suíça e de Liechtenstein começaram a oferecer serviços relacionados a criptomoedas a seus clientes, desafiando a tendência do resto da Europa de desprezar esses instrumentos financeiros.

Alguns pequenos bancos europeus estão nadando contra a maré ao se envolverem no mercado criptomonetário. Eles perceberam que isso é uma oportunidade de preencher o vácuo deixado pelos grandes players, que se recusam a participar desse setor de negócios.

Falando ao Financial Times, o CEO do Bank Frick, Edi Wögerer afirmou:

“Existem riscos envolvidos, mas há também grandes oportunidades. Sabemos o que fazer da perspectiva de segurança, então, essa é uma grande chance para pequenos bancos como nós.”

O banco baseado em Liechtenstein não é o único a se juntar ao movimento. Os bancos suíços Vontobel e Falcon também estão tentando suas chances, oferecendo investimentos em criptomoedas para seus clientes.

Wögerer adicionou que grandes bancos estão com medo das criptomoedas porque não conseguem entendê-las completamente – ou se sentem ameaçados de alguma forma.

Oliver Bussman, chefe do Crypto Valley Initiative em Zug, Suíça, acredita que a recusa de grandes instituições em tocar nas criptomoedas está abrindo as portas para que operadores de menor porte deem um passo à frente e ofereçam serviços nesse setor.

O Bank Frick, de Wögerer está entre aqueles que levaram as coisas um pouco mais longe, fornecendo conselhos a respeito de investimentos em Ofertas Iniciais de Moedas (ICOs). De acordo com Wögerer, seu banco já está envolvido em dez ICOs.

Jurisdições tais como Liechtenstein e Suíça podem não ser membros integrais da União Européia, mas possuem direitos de membros na Área Econômica Européia, o que os permite evitar medidas duras pela Comissão Européia enquanto ainda servem clientes do continente.

O cantão de Zug, na Suíça se tornou um ícone para entusiastas de criptomoedas – o lugar foi apelidado de “Crypto Valley”. Dada suas brandas regulações sobre moedas virtuais, não é surpresa que organizações como a Bitmain se estabeleçam na área.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment