Hoje, dia 12 de abril, a polícia chinesa subitamente interrompeu a Fintech & Blockchain China Summit 2018, uma conferência de um dia realizada em Xangai, organizada pela PTP International.

Os reguladores financeiros chineses pretendem bloquear o acesso a 124 sites estrangeiros de criptomoedas que fornecem serviços aos habitantes do Reino do Meio. Isso foi relatado pela CoinDesk com referência à mídia local.

De acordo com uma mensagem do Shanghai Securities Times, que publica ordens oficiais de reguladores financeiros, a questão do bloqueio foi levantada pelo Serviço de Gerenciamento de Risco Financeiro da China (CNFRRO). O regulador apresentou uma lista de 124 corretoras de Bitcoin com endereços IP estrangeiros e tentará bloquear essas plataformas.

O Escritório também alertou a serviços de pagamento terceirizados sobre a necessidade de bloquear contas suspeitas de realizar transações com criptomoedas. O CNFRRO anunciou o bloqueio permanente de contas no WeChat que forneçam serviços relacionados a criptomoedas e ICOs.

O CNFRRO foi estabelecido em 2016 por ordem do Conselho de Estado da República Popular da China. O departamento lida com a gestão de risco em várias esferas financeiras, incluindo criptomoedas e empréstimos P2P.

No momento, a China já bloqueou o acesso às corretoras de Bitcoin mais populares, incluindo Binance, OKEx e Bitfinex.