Servidores de banco italiano foram utilizados para mineração

Os servidores de um dos bancos italianos foram usados ​​por hackers para minerar moeda criptográfica em 2015, essa informação foi retirada dos relatórios da Quartz.

Publicado em 12 de julho de 2017 por

Os servidores de um dos bancos italianos foram usados ​​por hackers para minerar moeda criptográfica em 2015, essa informação foi retirada dos relatórios da Quartz.

De acordo com o diretor da Darktrace, empresa especializada em segurança cibernética, que possui sua sede no Reino Unido, em janeiro de 2015, seus especialistas investigaram uma intervenção no sistema de organizações financeiras. Durante essa investigação, foi possível identificar fluxos de dados que foram enviados dos servidores do banco para uma botnet.

“A Botnet era governada por um conhecido sindicato de criminosos do país. O programa enviava dados como se fossem de clientes, mas na verdade executava uma versão um tanto quanto mal feita dos protocolos de mineração do Bitcoin”, disse Palmer.

O servidor descoberto foi imediatamente desligado, ao que tudo indica ele funcionou menos de algumas horas e por isso não teve tempo hábil de minerar grandes quantias.

“Graças ao fato de terem sido descobertos logo no inicio, eu não acho que eles conseguiram ganhar muito”, disse o especialista.

Dave Palmer também acrescentou que a produção criminosa de criptomoedas vem caindo sistematicamente quando em comparação com os anos de 2014 e 2015. Nos últimos seis meses, a Darktrace identificou apenas 24 casos semelhantes.

Publicidade

Outro caso curioso

Em um caso curioso, e pouco comum, um agora funcionário do FED (Federal Reserve System) dos EUA, que exercia o cargo de analista de comunicações para o conselho, foi preso por utilizar os servidores da agencia para minerar Bitcoins.

Berthaume, que foi indiciado em outubro passado, fora acusado de minerar Bitcoins usando um servidor do FED por mais de dois anos, de março de 2012 a junho de 2014. A mineração de Bitcoin é um processo intensivo e competitivo, que gasta muita energia, através do qual novas transações são adicionadas à blockchain.

Ele se declarou culpado de uma acusação de conversão ilícita de propriedade do governo, um delito menor. Por conta dos crimes cometidos, Berthaume foi multado em US$ 5.000 e colocado em liberdade condicional.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment