Taxas de Comissão aumentam renda de corretoras sul-coreanas em 85 vezes

Para desenvolver tecnologias de Blockchain, as autoridades financeiras da Coréia do Sul estão preparando um plano para a legalização das Ofertas Iniciais de Moedas (ICO), que se tornarão novamente um alvo para investimentos por parte de investidores locais.

Publicado em 20 de Fevereiro de 2018 por

As corretoras de criptomoedas da Coréia do Sul receberam um enorme lucro com taxas de comissão em 2017 – 700 bilhões de won (US$648 milhões), enquanto em 2016, esse valor foi de 8 bilhões de won. Em apenas um ano, o lucro cresceu em cerca de 85 vezes.

Os dados anunciados são baseados em informações a respeito de taxas de comissão e do           custo do Bitcoin, publicado pela South Korean Stock Exchange Crypto-Currency.

O relatório também informou que a principal corretora de criptomoedas no país é a Upbit, que representa mais da metade do mercado sul-coreano de criptomoedas, com 52,9%. Os próximos colocados desse ranking são a Bithumb, Korbit e Coinone.

“As taxas de comissão recebidas pela Upbit chegaram a 194,3 bilhões de wones (US$182 milhões), para a Bithumb, foram calculados 317,7 bilhões de won (US$297 milhões). Nos sites Korbit e Coinone, esse valor atingiu 67 bilhões de won (US$62 milhões) e 78,1 bilhões de wones (US$73 milhões), respectivamente”, enfatizou o estudo.

Lembre-se, no final de janeiro, o ministro das Finanças da Coréia do Sul, Kim Dong-yeon, afirmou que as autoridades do país não pretendem proibir nem exercer qualquer pressão sobre o mercado de câmbio digital – em particular, sobre as corretoras de criptomoedas.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment