Tyler Winklevoss: baleias de Wall Street precisam de tempo para aceitar criptomoedas

A ETF Bitcoin do irmãos Winklevoss tem movimentado o mercado e mexido com o imaginário do investidor de criptomoedas em especial os do Bitcoin.

Publicado em 16 de agosto de 2018 por

Tyler Winklevoss, CEO da corretora Gemini, está convencido de que os investidores institucionais de Wall Street precisarão de algum tempo para entrar no mercado de criptomoedas. Ele afirmou isso em uma entrevista à Bloomberg.

“A Wall Street leva a sério o mercado criptomonetário, embora a grande maioria das empresas ainda não esteja envolvida em criptomoedas. A indústria de Blockchain se baseia principalmente em varejistas. Com o tempo, isso vai mudar, mas levará algum tempo”, apontou Tyler Winklevoss.

Analistas acreditam que a principal razão para a demora na entrada dos investidores institucionais no mercado de criptomoedas é a vaga posição dos reguladores em relação à indústria. De acordo com uma opinião amplamente aceita, após a aprovação do ETF do Bitcoin pela Securities and Exchange Commission (SEC), o mercado criptomonetário será aberto a investidores institucionais.

Tyler Winklevoss observou que no momento, a Gemini está focada em expandir o negócio de varejo: Nos últimos seis meses, o número de funcionários da corretora dobrou e será ainda maior até o final do ano. Além disso, a plataforma planeja adicionar novas criptomoedas à sua plataforma de negociação.

Lembramos que no final de julho, a SEC rejeitou pela segunda vez o pedido dos irmãos Cameron e Tyler Winklevoss de criar um fundo de investimento em bolsa vinculado ao Bitcoin.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment