Vitalik Buterin e OmiseGO anunciam boicote à conferência CoinDesk Consensus 2018

O criador do Ethereum, Vitalik Buterin, e a equipe do projeto OmiseGO anunciaram boicote à próxima conferência Consensus 2018, organizada pela CoinDesk. A razão para isso foi, em particular, dois materiais da agência – um contendo um link direto para um site de scam, e outro, informações "sensacionais" sobre o suposto futuro hardfork do Ethereum.

Publicado em 27 de Abril de 2018 por

O criador do Ethereum, Vitalik Buterin, e a equipe do projeto OmiseGO anunciaram boicote à próxima conferência Consensus 2018, organizada pela CoinDesk. A razão para isso foi, em particular, dois materiais da agência – um contendo um link direto para um site de scam, e outro, informações “sensacionais” sobre o suposto futuro hardfork do Ethereum.

“Eu boicotarei a CoinDesk Consensus 2018 este ano e estou pedindo aos outros que sigam meu exemplo. Os motivos para isso são: 1. A CoinDesk promove de maneira irresponsável a divulgação de distribuidores de scam. Veja o artigo mais recente sobre o OMG [OmiseGO], que inclui *um link direto* para um  scamer”, escreveu Buterin em seu Twitter.

Publicidade

Ele também observou que alertou a mídia sobre tais erros no passado:

A equipe da OmiseGO também se juntou a Buterin:

Em segundo lugar, Buterin chamou a nota da CoinDesk sobre a controversa proposta EIP-999, que liberaria os 513 mil ETH bloqueados na Parity em novembro de 2017, de “sensacional”.

 “A nota deles sobre EIP 999 foi horrível. Eles publicaram um artigo extremamente sensacional no qual foi anunciado que a rede havia sido dividida, enquanto já estava bem claro que a EIP 999 ainda estava *muito distante* de ser adotada”, afirmou Buterin.

Vale notar que no momento da publicação da nota da CoinDesk, já era conhecido que representantes da comunidade Ethereum votaram contra o desbloqueio dos ETH detidos na Parity, e os próprios desenvolvedores da Parity Technologies asseguraram que não estavam tentando realizar um novo hardfork do  Ethereum. Desde então, o material da CoinDesk foi repetidamente editado, contudo, as imagens do texto original podem ser facilmente encontradas na Internet.

Em terceiro lugar, Vitalik Buterin acusou a CoinDesk da política de “armadilhas”.

“Sua política é projetada para pegar você. E você sabia que se lhes der um comentário, notando separadamente que uma certa parte dele não é para publicação, então é esta parte que será publicada em primeiro lugar, se você não se der o trabalho de passar pelo procedimento de solicitações/aprovações”, acrescentou Buterin.

Finalmente, ele observou que não pretendia apoiar a política “orientada para a renda” da Consensus 2018.

“A propósito, a entrada para a conferência custa US$2-3 mil. Recuso-me a apoiar pessoalmente tal nível de ganancia por renda”, resumiu Buterin.

Por sua vez, o editor da CoinDesk, Pete Rizzo, chamou as acusações de Vitalik Buterin de “completamente ridículas”. Segundo ele, o caso da publicação do link para o site de scam foi único, e a equipe de publicação sempre “procede das melhores formas”.

Ele também chamou as declarações de Buterin de “fala típica de um valentão”.

Depois, o editr acrescentou que não permaneceria em silêncio e “não toleraria esse típo de m**rda de ninguém”.

 

Ao mesmo tempo, a equipe da OmiseGO escreveu no Twitter que “se não conferirmos nossas fontes, pessoas podem perder seus meios de subsistência”.

“O comportamento da CoinDesk é mais do que apenas um erro. É importante que as publicações conduzam uma investigação completa quando falam sobre os projetos de token. O não cumprimento desta regra não só leva a ilusões, mas também prejudica diretamente os leitores, usuários e a integridade da tecnologia. As pessoas podem perder seus meios de subsistência se não verificarmos nossas fontes”, escreveram representantes da OmiseGO no Twitter.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment