Comunidade criptomonetária critica novas regras de votação da Huobi

A Huobi, corretora de criptomoedas que por questões legais decidiu deixar a china há alguns meses, anunciou planos de abrir um escritório em Londres.

Publicado em 3 de julho de 2018 por

Na semana passada, a corretora Huobi publicou uma atualização das regras de votação, segundo a qual dois grupos de investidores decidirão sobre a listagem de novos tokens, assim como informa a CoinDesk.

A empresa introduziu a ideia de um grupo de “nós permanentes”, que incluiu 14 grandes empresas tradicionais de capital de risco, como ZhenFund, FBG, Unity Ventures e Draper Dragon. Também foi decidido que o grupo de “nós selecionados” será constituído de 31 empresas criptomonetárias, incluindo a Node Capital, a Dfund, a BlockVC e outros participantes do mercado. Note que a lista será rodada através do voto aberto.

A Huobi lançou a plataforma HADAX em fevereiro deste ano e seus usuários foram convidados a votar em ativos para listagem através do token HT. Mais tarde, surgiu um mecanismo que permitia que bem conhecidas empresas de risco tivessem os privilégios de “supernós” e participassem da consideração de novos tokens antes que o público votasse neles.

De acordo com as regras atualizadas, todos os tokens colocados para votação pública devem ser suportados por nós permanentes, caso contrário, eles serão removidos da lista, e as moedas dadas como votos serão devolvidas aos usuários.

Na verdade, nós permanentes terão um papel mais importante na decisão de listar tokens na plataforma HADAX.

Esse passo imediatamente provocou uma resposta de vários investidores que sentiram que seus direitos foram limitados e que as novas regras eram discriminatórias e autoritárias.

O fundador da Node Capital e cofundador da corretora Huobi, Du Jun, anunciou através do WeChat que, embora sua empresa tenha recebido o status de um “supernó”, ela não participará da votação. Ele postou uma foto com o gesto mostrando o dedo médio, acompanhada pela seguinte mensagem:

“Vá à m***a equipe HADAX!”

Em resposta, o cofundador e CEO da Huobi Group, Li Lin, escreveu no WeChat que essa medida visa garantir a qualidade dos tokens escolhidos para listagem na plataforma.

“Peço desculpas por ter comunicado com “supernós” de forma improdutiva antes da publicação de novas regras. Entendemos que alguns dos nós selecionados sentem que seus direitos foram infringidos ou que suas marcas sofreram danos. Nós construímos nossa cooperação baseando-no em propostas win-win. Aceitar ou não é sempre a escolha de um mercado livre. A Huobi sempre abre a porta para os parceiros. Mas a HADAX deve ser completamente atualizada e, em julho, teremos outra importante atualização. Independentemente do modelo que escolhermos, acreditamos que a responsabilidade pelos usuários é de suma importância”, afirmou Lin.

Ainda no contexto de notícias a respeito da Huobi, vale ressaltar que anteriormente, tornou-se conhecido que a corretora suspenderia seus serviços no Japão. É possível ler mais sobre isso aqui.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment