Consumo 10 vezes maior que da cidade: fornecimento de energia a fazenda canadense de Bitcoin será reduzido

A Comissão de Valores Mobiliários de Ontário (OSC) começou a estudar as atividades das plataformas locais de negociação em criptomoedas. De acordo com a representante da OSC, Kristen Rose, a agência recebeu um "número de reclamações" em relação a algumas plataformas que vendem moedas digitais que podem ser qualificadas como valores imobiliários.

Publicado em 27 de setembro de 2018 por

A Hut 8 Mining Corp, uma fazenda canadense de Bitcoin baseada em Medicine Hat, enfrentou uma ameaça de redução do fornecimento de eletricidade porque consome 10 vezes mais energia que toda a população da cidade. Isso foi relatado pelo CBC.

Em julho, a Hut 8, em cooperação com o Bitfury Group, concluiu a construção de uma instalação para mineração (CMH Facility) com 40 centros de dados, alimentados por turbinas de eletricidade e gás. Em setembro, a empresa já possuía 56 centros com 180 servidores.

A empresa escolheu Medicine Hat por conta das baixas tarifas de energia. No entanto, representantes do Greenpeace notaram que, devido ao uso de fontes de energia não renováveis, a fazenda de Bitcoin tem um impacto negativo sobre a ecologia da cidade – atualmente, a instalação consome mais de 60 megawatts de eletricidade.

“Ao avançar, é necessário levar em conta algumas consequências do impacto do progresso no meio ambiente”, disse o ambientalista e analista do Instituto Pembina, Saeed Kaddoura.

O prefeito de Medicine Hat, Ted Clugston, alertou os proprietários do centro de mineração sobre a redução do fornecimento de eletricidade no caso de um aumento de carga na rede elétrica. Ele acrescentou ainda que existe uma fonte reserva de energia para os moradores, que será acionada em caso de sobrecarga de rede.

Nos últimos 50 anos, as autoridades de Medicine Hat forneceram às empresas serviços de distribuição de gás natural e eletricidade. A cidade aluga terras de empresas, e elas, por sua vez, fornecem empregos para os moradores da região.

De acordo com o prefeito da cidade, o projeto Hut 8 não é diferente dos outros: a fazenda de Bitcoin comprou terras em Medicine Hat por US$100 milhões e criou 40 empregos para seus moradores.

Ele também observou que os centros de dados da Hut 8 trazem significativos benefícios econômicos e financeiros para a cidade, e as fontes de energia renováveis para a mineração não são confiáveis.

“As fazendas da Hut 8 requerem energia a gás, e é abundante em nossa cidade”, disse Ted Klugston.

Vale ressaltar que anteriormente, ainda envolvendo fazendas de mineração, relatamos que uma instalação norueguesa anteriormente acusada de ruído excessivo, poderia ser fechada devido a um conflito com reguladores.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment