Coréia do Sul proibirá criptografia anônima a partir de 30 de janeiro

Para desenvolver tecnologias de Blockchain, as autoridades financeiras da Coréia do Sul estão preparando um plano para a legalização das Ofertas Iniciais de Moedas (ICO), que se tornarão novamente um alvo para investimentos por parte de investidores locais.

Publicado em 24 de Janeiro de 2018 por

As autoridades da Coréia do Sul enrijeceram as regras referentes à negociação de criptomoedas em corretoras locais. As inovações entrarão em vigor no dia 30 de janeiro. Isso foi relatado pela Reuters, citando a declaração da Comissão de Serviços Financeiros.

Agora, cada comerciante deve se identificar com a ajuda de uma conta bancária para comprar ou vender moedas criptográficas. Nesse caso, o nome do proprietário da conta deve coincidir com o nome do proprietário da conta bancária, caso contrário, as transações serão proibidas.

Também foi relatado que seis bancos locais estarão conectados ao sistema de registro de nomes reais.

Os investidores de Bitcoin locais afirmam que o movimento do governo era esperado, mas não acreditam que isso implicará em uma saída maciça dos investimentos em criptomoedas do país.

“Não vejo motivo para retirar meu dinheiro agora”, disse a fonte.

Lembremos que anteriormente, autoridades sul-coreanas obrigaram todos os comerciantes de ativos criptográficos a converter contas anônimas digitais em registradas até o final de janeiro de acordo com a legislação AML/KYC. Além disso, com base em uma decisão do governo, corretoras do país terão que transferir informações sobre as transações de seus clientes aos bancos.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment