Para desenvolver tecnologias de Blockchain, as autoridades financeiras da Coréia do Sul estão preparando um plano para a legalização das Ofertas Iniciais de Moedas (ICO), que se tornarão novamente um alvo para investimentos por parte de investidores locais.

Uma declaração do Ministro sul-coreano da Justiça, Pak Sang Ki, sobre o projeto de lei para proibir a atividade de corretoras de criptomoedas  gerou um conflito político entre o atual governo e os partidos da oposição. Os últimos acreditam que o oficial manipulou o mercado. Isso foi relatado pela CCN.

No contexto da declaração do Ministro da Justiça, o mercado de criptomoedas sofreu um forte colapso: a taxa média ponderada do Bitcoin caiu abaixo de US$13 mil, e a capitalização total do mercado de criptomoedas caiu para US$600 bilhões.

“Este comportamento é inaceitável, pois não leva em consideração os interesses dos cidadãos da Coréia do Sul. A declaração do ministro Pak Sang Ki sobre a proibição da negociação em criptomoedas é uma zombaria às pessoas”, afirmou o porta-voz do partido de oposição “Paryn Chondan”, Yu Edong.

Apesar do fato de a administração do presidente Moon Jae-in ter se desculpado pela confusão, a oposição ressalta que a declaração foi feita muito tarde e não impediu o dano causado aos investidores de Bitcoin.

Dado que os volumes diários de negociação no mercado de ações coreano são menores que os valores semelhantes para as corretorras sul-coreanas de criptomoedas, medidas radicais contra a indústria terão um efeito negativo sobre a economia do país, crê a oposição.

Vale ressaltar que anteriormente surgiu a informação de que as corretoras sul-coreanas de criptomoedas suspenderam o registro de contas bancárias digitais para negociação devido aos requisitos do regulador financeiro de cumprimento das normas dos procedimentos KYC. Além disso, residentes de outros países e menores de idade foram proibidos de negociar moedas digitais.