Nova onda de rumores sobre “proibição do Bitcoin” na Coréia do Sul derruba mercado de criptomoedas

Para desenvolver tecnologias de Blockchain, as autoridades financeiras da Coréia do Sul estão preparando um plano para a legalização das Ofertas Iniciais de Moedas (ICO), que se tornarão novamente um alvo para investimentos por parte de investidores locais.

Publicado em 11 de Janeiro de 2018 por

Na noite de quinta-feira, 11 de janeiro, uma série de mídia convencional divulgou relatórios sobre os planos do governo sul-coreano de proibir a negociação em criptomoedas. Como consequência dessas notícias, o mercado diminuiu significativamente.

Asim, no início do dia, o preço do Bitcoin foi reduzido a US$13 mil. A maioria das outras principais criptomoedas também estão na zona vermelha.

Nova onda de rumores sobre "proibição do Bitcoin" na Coréia do Sul derruba mercado de criptomoedas. BTCSoul.com

Dados fornecido por: Coinmarketcap

A capitalização total do mercado de criptomoedas caiu abaixo de US$ 650 bilhões.

O fato de as autoridades sul-coreanas assumirem uma posição bastante rígida em relação às criptomoedas – incluindo a proibição de ICOs – foi relatado por nós ainda no ano passado. No entanto, de acordo com fontes do país, isso se deve mais à intenção das autoridades de encaminhar a indústria a um campo regulamentado – e não ao desejo de proibir negociações, e muito menos o próprio Bitcoin.

Depois que vetores como a CNBC, a Reuters e a BBC – muitas vezes copiando a retórica uns dos outros – espalharam uma nova onda de rumores sobre a “proibição do Bitcoin” na Coréia do Sul, o mercado afundou rapidamente.

Em particular, um dos comentários mais populares foi a “declaração” do ministro sul-coreano da Justiça, Pak San-Guy:

“Temos grandes preocupações com as moedas virtuais, e o Ministério da Justiça, na verdade, está preparando um projeto de lei que proibirá a negociação nas corretoras de criptomoedas”.

Publicidade

Publicidade

Ao mesmo tempo, a Reuters informa que na quarta e quinta-feira, escritórios das duas principais corretoras da Coréia do Sul (Bithumb e Coinone) foram procurados pelo serviço de impostos, sendo que a organização, presumivelmente, estava estudando as atividades das duas Exchanges com a visão de possível evasão do pagamento de impostos.

“A polícia está investigando as atividades da nossa empresa desde o ano passado, eles cham que estamos envolvidos em jogos de azar”, diz à Reuters um funcionário anónimo da Coinone.

Ao mesmo tempo, o analista Joseph Young escreve em seu Twitter que tais declarações sobre a alegada proibição de negociação em criptomoedas são muito exageradas. Segundo ele, trata-se da intenção das autoridades de interromper apenas as atividades de corretoras que não cumpram as regras da regulamentação financeira.

Ao mesmo tempo, Joseph Young afirma que o governo do país já recebeu numerosas queixas de residentes do país, insatisfeitos com a declaração precipitada do ministro.

O criador do Litecoin, Charlie Lee, falou de uma forma ainda mais radical sobre a propagação desses rumores. Segundo ele, tudo isso não passa de FUD (medo, incerteza, dúvida), que muitas vezes afetam o mercado. O criptoentusiasta também comparou as últimas notícias à declarações de que “a China proibirá o Bitcoin”.

Lembramos que notícias sobre a proibição do trabalho de corretoras de criptomoedas na Coréia do Sul apareceram ainda no final de dezembro. Já no Ano Novo, foi relatado que as corretoras locais suspenderam o registro de contas digitais devido aos requisitos do regulador financeiro de cumprimento das normas dos procedimentos KYC, que também proibiu que alguns usuários negociassem em ativos digitais.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment