Kik abandonará Ethereum em favor de Stellar

Os desenvolvedores da Stellar planejam implementar o protocolo Lightning em sua rede ainda este ano como forma de resolver um problema que aflige muitas criptomoedas: o dimensionamento da rede.

Publicado em 15 de novembro de 2018 por

Desenvolvedores do messenger Kik, da Kik Foundation, abandonarão a Blockchain do Ethereum em favor da Blockchain do Stellar. Isso foi relatado no blog da empresa.

Segundo o relatório, a empresa suspenderá os swaps atômicos envolvendo ETH. Sem especificar datas exatas, a Kin Ecosystem Foundation anunciou a iminente criação de uma ferramenta para a retirada de tokens KIN da Blockchain do Ethereum.

Durante uma ICO em setembro de 2017, a equipe conseguiu levantar cerca de US$100 milhões. Em novembro, representantes da Kik começaram a falar sobre a possível transferência dos tokens da Blockchain do Ethereum devido a problemas com escalabilidade dessa rede. Como alternativa, foi escolhida a Blockchain do Stellar.

Em março de 2018, a empresa desenvolveu um sistema para trabalhar em ambas as plataformas. O Ethereum era então usado para maior segurança e o Stellar, para aumentar a velocidade. Para interação entre Blockchains, um sistema de swaps atômicos foi desenvolvido.

Um porta-voz da Kik Foundation afirmou que as negociações estavam em andamento com as corretoras. A empresa quer que os usuários mudem para a nova Blockchain, e que os tokens ERC-20 sejam queimados. Ele também acrescentou que os desenvolvedores não estão planejando uma transferência obrigatória de proprietários de tokens para o novo sistema.

Lembre-se de que anteriormente, houve uma situação semelhante com o projeto Storj: em março de 2017, a Storj Labs anunciou a transferência de seu sistema de armazenamento descentralizado da Blockchain do Bitcoin para a Blockchain do Ethereum.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment