Pesquisa: Bitcoin raramente é utilizado para lavagem de dinheiro

A Elliptic, uma empresa britânica especializada em investigações de esquemas de lavagem de dinheiro rastreou todas as operações de Bitcoin realizadas a partir de endereços criminais entre 2013 e 2016.

Publicado em 22 de Janeiro de 2018 por

A Elliptic, uma empresa britânica especializada em investigações de esquemas de lavagem de dinheiro rastreou todas as operações de Bitcoin realizadas a partir de endereços criminais entre 2013 e 2016. O estudo mostra que essas transações representam apenas 1% de todas transações processadas por plataformas populares de Bitcoin. Isso é relatado pelo BitsOnline.

“O volume dessas transações em grandes sites – onde os fundos poderiam ser convertidos – não atingiu 1%. Ao mesmo tempo, as plataformas de negociação ilegal, como a Silk Road e a Alpha Bay, tornaram-se as principais fontes desse tipo de transações enviadas a grandes plataformas”, afirmou a Elliptic em seu relatório.

Ao mesmo tempo, apenas 0,61% das transações poderiam ser associadas a atividades ilegais com certeza absoluta. Vale notar que os criminosos geralmente preferem serviços europeus aos americanos e asiáticos – apesar de o mercado asiático ter tradicionalmente mostrado os maiores volumes de negociação.

A Elliptic também recomendou aos reguladores que observem mais de perto as misturadoras de Bitcoin e os sites de apostas online, pois esses serviços são um dos meios favoritos que os criminosos utilizam para lavar dinheiro. O relatório enfatiza que a grande maioria das transações que passam por corretoras de criptomoedas são legais.

Lembramos que anteriormente o Tesouro dos EUA confirmou que os criminosos são mais propensos a preferir dólares e outras moedas fiduciárias para o branqueamento de capitais que ativos digitais.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment