Proibição de ICOs na China leva ao crescimento de projetos fraudulentos

Hoje, dia 12 de abril, a polícia chinesa subitamente interrompeu a Fintech & Blockchain China Summit 2018, uma conferência de um dia realizada em Xangai, organizada pela PTP International.

Publicado em 8 de dezembro de 2017 por

Em 2017, as agências de aplicação da lei da China interromperam as atividades de 107 Altcoins fraudulentas, incluindo Five Elements Coin, Onecoin e Ticcoin. Todas essas moedas acabaram por ser pirâmides financeiras comuns. Isso foi relatado no site Bitcoin.com.

Zhao Shouguo, professor de economia da Universidade Northwestern em Xi’an, vinculou a atividade dos cibercriminosos no mercado de criptomoeda à proibição do governo de conduzir ICOs.

“A proibição das ICOs e o fechamento das corretoras de criptomoedas criaram um vácuo no mercado e geraram vários projetos fraudulentos. Representantes de esquemas de pirâmide em moedas virtuais persuadiram os usuários que devido à proibição, a principal moeda criptográfica está perdendo sua relevância e agora é um novo tempo para lucrar”, diz ele.

Nas populares redes sociais chinesas Wechat e QQ, há muitos grupos fechados dedicados às Altcoins, por exemplo, Moeda de proteção ambiental HBB, Moeda de radar e Moeda de casca vermelha. Os moderadores do grupo colocam infográfica mostrando altos retornos aos investidores para incentivar os usuários a investir.

“Convide cinco participantes, e você poderá obter 600 yuan (US$90), mesmo um mendigo pode fazê-lo”, diz a página de um dos grupos.

Como o professor do departamento de direito da Universidade Central de Economia e Finanças em Pequim Huang Zhen diz, o número de esquemas criminais está crescendo devido ao fato de que duplicar Altcoins é barato e simples. Além disso, com a expansão do banco móvel e das redes sociais, torna-se mais fácil atrair novos investidores.

“Uma vez que os criminosos são muitas vezes localizados em diferentes partes da China e organizam fraudes por meio de computadores e telefones celulares, é difícil deter todos de uma vez e provar sua culpa”, disse o policial em Haikou Ren Jian.

No final de setembro deste ano, as agências de aplicação da lei chinesas realizaram 5.900 investigações criminais sobre esquemas de pirâmide, totalizando mais de 30 bilhões de yuans (US$4,5 bilhões).

Recorde que, no início de dezembro, a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos deteve as contas do residente canadense Dominique Lacroix e de sua empresa PlexCorps, acusado de atividades fraudulentas sob a forma de ICO.

 

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment