O IRS (Internal Revenue Service) publicou um novo relatório descrevendo um projeto de lei que reconhece o Bitcoin e outros ativos criptográficos e impõe dívidas fiscais a empresas que arrecadam fundos através de ICOs.

A Autoridade de Valores Mobiliários de Israel (ISA) integrou a tecnologia de registro distribuído a seus sistemas internos. Isso foi relatado pela Finance Magnates.

O processo de integração ocorreu em duas etapas. A primeira delas envolveu o sistema Yael, que fornece comunicação com estruturas responsáveis.

Representantes da ISA observaram que a Blockchain permite transmitir informações de maneira mais confiável, pois fornece confirmação de sua autenticidade e ajuda a evitar falsificações e exclusão de dados. Além disso, os destinatários não podem negar o fato de que receberam informações do remetente.

Na próxima etapa, planeja-se introduzir o sistema de votação Etsba-on – este último permite que os investidores participem de reuniões remotamente. Esta etapa ainda não foi concluída.

A agência planeja implementar também a Blockchain em seu sistema de controle. A ISA esclareceu que esse processo levaria três meses, e que sua implementação seria realizada pela empresa Taldor, de TI.

Vale notar que o ambiente regulatório de Israel dificilmente pode ser chamado de amigável à Blockchain: no dia 1 de junho, por exemplo, entrou em vigor uma lei de combate à lavagem de dinheiro por meio das criptomoedas, que iguala essas últimas a ativos financeiros. Alguns meses antes, a ISA anunciou a exclusão das ações de empresas criptomonetárias da listagem na Bolsa de Valores de Tel Aviv.