Participação do yuan chinês no comércio global de Bitcoin cai para 1%

Se no passado recente, as transações com o yuan chegaram a representar mais de 90% do volume global de transações em Bitcoin, após a introdução de rigorosas medidas regulatórias contra a indústria criptomonetária no país, este indicador caiu para 1%.

Publicado em 9 de julho de 2018 por

Se no passado recente, as transações com o yuan chegaram a representar mais de 90% do volume global de transações em Bitcoin, após a introdução de rigorosas medidas regulatórias contra a indústria criptomonetária no país, este indicador caiu para 1%. Isto foi relatado pelo portal Xinhua.

Dados mostrando um declínio significativo no volume de transações com o yuan foram publicados pelo Banco Popular da China.

Lembramos que em setembro de 2017, a China proibiu a realização de ICOs. Além disso, o governo assumiu uma posição rígida em relação ao comércio de Bitcoin e outras criptomoedas, praticamente obrigando as corretoras a fugirem do país. O objetivo declarado era combater fraudes.

Desde então, autoridades chinesas fecharam 88 corretoras de criptomoedas, incluindo grandes plataformas como Binance e Huobi, e interromperam 85 ICOs.

“As oportunas ações dos reguladores refletiram efetivamente as consequências de fortes saltos e quedas nas taxas de câmbio das moedas virtuais e colocaram uma base para uma tendência global de regulamentação”, afirmou Zhang Ifen, analista de Blockchain da Zhongchao Credit Card Industry Development.  

As ações dos reguladores também foram apoiadas por Guo Dazhi, diretor de pesquisa do Instituto de Finanças da Internet do Centro de Ciência e Tecnologia de Zhongguancun.

“Isso mostra que a política de restrições foi bem-sucedida. Expectativas de que, após a introdução de proibições, a participação das transações com o yuan no mercado mundial cairá, estiveram presentes desde o início”, ressaltou ele.

No momento, não há sinais de que a atitude de reguladores será suavizada no que se refere a criptmoedas. Portanto, no futuro próximo, o papel do yuan no comércio de Bitcoin, aparentemente, permanecerá insignificante.

Vale notar que, com tudo isso, a atitude das autoridades chinesas em relação à subjacente tecnologia de Blockchain está longe de ser negativa: em maio, por exemplo, o presidente chinês Xi Jinping destacou essa tecnologia como uma das principais para a revolução da informação no país. Por fim, no mês passado, a televisão estatal da China chamou a Blockchain de “Segunda Fase da Internet”.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment