Planos de Durov de criar criptomoeda própria podem ter motivado bloqueio do Telegram  

O criador da rede social Telegram, Pavel Durov, agradeceu aos russos por participarem da ação com o lançamento de aviões de papel em apoio à Internet livre e decidiu realizar sua próxima ação às 19:00h do horário de Moscou neste domingo, 29 de abril.

Publicado em 20 de Abril de 2018 por

O real motivo que levou as autoridades russas a bloquear a rede social podem ser planos de seu criador, Pavel Durov, de lançar sua própria criptomoeda. Isso foi relatado pela RBC.

De acordo com a publicação, o bloqueio mal sucedido do messenger na Rússia, que tem sido acompanhado por vários dias por um bloqueio de endereços IP de serviços em nuvem da Amazon, Google e outros provedores, foi discutido ativamente nos últimos dias entre os funcionários do 12º centro do FSB (que supervisiona, entre outras coisas, questões dos sistemas de meios técnicos para assegurar funções das atividades de busca operacional) e representantes de outros departamentos relevantes.

Em 18 de abril, o funcionário Roman Antipkin, do 12º centro do FSB, enviou uma carta aos colegas explicando que o verdadeiro motivo do bloqueio do Telegram na Rússia era o desejo de Pavel Durov de lançar um “sistema financeiro completamente descontrolado” com base na plataforma.

“Colegas, a história não tem nada a ver com isso, como vocês não entendem! A história não é sobre chaves e terrorismo. Pasha Durov decidiu se tornar um novo Mavrodi (nota de tradutor: fundador de uma pirâmide financeira russa). Com o lançamento dessa moeda, teremos aqui um sistema financeiro completamente descontrolado. E isso não seria um Bitcoin qualquer para pessoas marginalizadas, seria um sistema simples, confiável e incontrolável. Isso é uma ameaça à segurança do país. Todas as drogas retiradas de fundos e comércio de orgãos passarão pela criptomoeda de Pasha, e ele apenas vai dizer: “Não tenho nada a ver com isso, proíbam palavras então, pois são usadas por terroristas”, diz uma carta assinada por Roman Antipkin.

O texto da carta está à disposição da RBC, sendo que sua autenticidade foi confirmada por um funcionário federal e gerente de uma das operadoras de telecomunicações. Um interlocutor da RBC em uma das organizações próximas ao governo também está ciente do conteúdo do documento.

Participantes do mercado e funcionários com quem a RBC falou confirmaram que Roman Antipkin prepresentou várias vezes o 12º centro do FSB em reuniões. Em particular, ele esteve presente numa reunião sobre a implementação da notória “lei de Yarovaya”.

A intenção de Pavel Durov de lançar sua própria plataforma de Blockchain chamada Telegram Open Network (TON) junto à criptomoeda Gram criptos ficou conhecida em janeiro de 2018. O projeto foi descrito em detalhes em um documento de 132 páginas, assinado por Nikolai Durov, diretor técnico do Telegram e irmão de Pavel Durov. Os criadores pretendem integrar o sistema de pagamento com base em sua própria Blockchain TON no messenger Telegram e, no futuro, introduzi-lo em outros serviços e redes sociais.

Após duas rodadas preliminares fechadas de ofertas de tokens da nova plataforma Telegram Open Network, a plataforma conseguiu arrecadar cerca de US$1,7 bilhão.

Lembre-se de que no início desta semana, o fundador e CEO da Telegram, Pavel Durov, resumiu os resultados do primeiro dia de bloqueio do mensageiro na Rússia e anunciou a criação da Resistência Digital – um movimento descentralizado em defesa das liberdades digitais e do progresso.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment