Os hackers que roubaram 500 milhões de tokens NEM (XEM) da corretora japonesa Coincheck no final de janeiro, podem, no momento, já ter lavado a maior parte dos fundos. Isto foi relatado pela Nikkei com referência aos dados de pesquisa da empresa L Plus, baseada em Tóquio e especializada em segurança cibernética.

Durante a investigação do cracking da Coincheck, policiais japoneses questionaram um comerciante local que converteu um pequeno número de moedas NEM em Litecoin. Isso foi relatado pelo Nikkei.

De acordo com a publicação, um comerciante sem nome converteu alguns NEM na Darknet, contudo, essas moedas foram rotuladas pelo sistema da NEM Foundation como ativos roubados da Coincheck. Após rastreamento, o comerciante foi detido por membros do Departamento de Delito Cibernético da Polícia de Tóquio.

Lembre-se de que no final de janeiro, a Coincheck confirmou um grande roubo de fundos de sua plataforma. Um total de 58 bilhões de ienes (US$533 milhões) em NEM (XEM) foi roubado.

Vale ressaltar que antes ainda disso, a Coincheck havia suspendido as operações com NEM e outras Altcoins, depois que mais de 100 milhões de XRPs (cerca de US$123,5 milhões) foram movidos da carteira da empresa a outra carteira desconhecida.

Em seguida, representantes da corretora publicaram uma declaração oficial no qual foi informada a disposição da empresa em compensar as perdas de usuários às suas próprias custas.

Em particular, na declaração da corretora de Tóquio, foi mencionado o pagamento de uma compensação a 260 mil detentores de NEM pelo valor de US$ 400 milhões “à alíquota de 88,549 ienes (US$ 0,81) para cada moeda “.