El Petro: registro de mineradores e outras características da moeda digital nacional da Venezuela

Se podemos confiar nas últimas notícias da mídia mundial, a Venezuela será em breve o primeiro país a emitir sua própria moeda digital nacional.

Publicado em 8 de Janeiro de 2018 por

Se podemos confiar nas últimas notícias da mídia mundial, a Venezuela será em breve o primeiro país a emitir sua própria moeda digital nacional.

O presidente da Venezuela, Nicholas Maduro, anunciou a criação da moeda digital El Petro, supostamente garantida pelo petróleo e minérios produzidos no país ainda no início de dezembro do ano passado. Conforme relatado, esta decisão foi tomada no contexto da contínua crise econômica no país e da queda da moeda nacional.

Publicidade

Publicidade

Atualmente, um mês após o anúncio inicial, o governo da Venezuela prepara todo o necessário para o lançamento do dinheiro digital.

Assim, de acordo com Maduro, mais de 860 mil mineradores já mostraram interesse na produção do El Petro, sendo que esse número continua a crescer. Isso significa que 2,7% da população venezuelana – cerca de 31,5 milhões de pessoas – estão interessados.

Lembramos que anteriormente, autoridades do país anunciaram a criação da Direção Geral de Criptomoedas, que será responsável pela regulamentação e desenvolvimento do El Petro. O novo órgão estatal será liderado pelo deputado da Assembléia Constituinte, Carlos Vargas. Além disso, o departamento trabalhará com o setor venezuelano de Blockchain.

Publicidade

Publicidade

“A Venezuela criará uma criptomoeda para fortalecer a soberania monetária, superará o bloqueio financeiro e, assim, passará a usar novas formas de financiamento internacional para o desenvolvimento econômico e social do país”, afirmou Maduro na época.

De acordo com especialistas, esta medida é forçada e potencialmente capaz de ajudar a superar a furiosa hiperinflação no país. Juntamente ao Banco Central da Venezuela, a Onixcoin também trabalha no conceito da criptomoeda nacional.

A oposição a Maduro repetidamente negou tal idéia. Para exemplificar, vale citar o advogado Angel Alvarado, que disse à Reuters que “aquilo não passa de uma palhaçada de Maduro”.

Registro de mineradores

Vale ressaltar que, até recentemente, autoridades venezuelanas restringiram severamente mineração de criptomoedas, acusando os mineradores de fraude na Internet e roubo de eletricidade. Sendo que dessa forma, parece bastante lógico que de agora em diante, mineradores locais sejam obrigados a passar pelo processo de registro estadual. Conforme relatado, a aceitação de solicitações começou em 22 de dezembro do ano passado.

Os mineiros serão obrigados a indicar não apenas seu nome e localização, como também o equipamento utilizado para extrair criptomoedas. Adeptos do registo obrigatório acreditam que tal medida fornecerá proteção legal aos criptoentusiastas e formalizará seu status.

Autoridades venezuelanas destacam que qualquer cidadão do país pode solicitar um registro no portal especial que contém registro de mineradores. O site, lançado pela Direção Geral para criptomoedas da Venezuela, aceitará pedidos até dia 21 de janeiro.

“Esse cadastro é um requisito necessário para que cidadãos elegíveis tenham acesso ao El Petro”, afirmam os reguladores.

Além disso, o Ministro das Comunicações e Informação, Jorge Rodriguez, acrescentou que usuários registrados podem acessar outras criptomoedas – autorizadas pelo governo – conforme relatado pelo Panorama.

De acordo com o Bitcoin.com, o presidente Maduro já decidiu “respaldar” o El Petro com 5,3 bilhões de barris de petróleo bruto – cerca de US$267 bilhões. O Ministério do Petróleo da Venezuela também observou que o fator para determinar o preço do El Petro será o custo de um barril de petróleo bruto, que hoje é de cerca de US$57.

Entre notícias anteriormente divulgadas, vale destacar a ordem de Vladimir Putin para criação do criptorublo na Rússia. De acordo com Sergei Glaziev, conselheiro do presidente russo em questões econômicas, o criptorublo, bem como na Venezuela, “nos permitirá liquidar contas com contrapartes em todo o mundo sem prestar atenção às sanções”.

Chrys

Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment