Hardork do Bitcoin Cash, colapso do mercado e outros eventos marcantes da semana

Publicado em 19 de novembro de 2018 por

Nessa revisão: uma atualização do mínimo anual de preço do Bitcoin, o hardfork do Bitcoin Cash, o triunfo das stablecoins e a transição completa do Kik messenger para o Stellar.

De volta para o futuro

O preço do Bitcoin atualizou seu mínimo anual: depois de quebrar o sofrido suporte na região de US$6 mil, o preço foi para os níveis de outubro do ano passado.

Esse colapso começou na quarta-feira, dia 14 de novembro. Tradicionalmente, a queda do preço do BTC leva a grande maioria dos outros ativos digitais junto.

Como pode ser visto a partir dos dados da CoinMarketCap, no final da semana, quase todos os representantes das dez primeiras criptomoedas caíram significativamente:

Apenas o XRP está se movendo contra o mercado, tendo se estabelecido firmemente no segundo lugar e empurrando o Ethereum novamente para a terceira posição. A capitalização de mercado do XRP atingiu US$20 bilhões.

A capitalização total de mercado é de US$185 bilhões, cerca de quatro vezes menor em comparação aos valores do início de janeiro deste ano. Pode-se supor que a maioria dos fundos criptomonetários criados este ano sofra perdas graves não realizadas.

Testando os nervos dos entusiastas de criptomoedas, os analistas jogam mais combustível ao fogo: Rob Sluimer da Fundstrat Global Advisors, por exemplo, acredita que “levará semanas, ou mesmo meses” para que um quadro técnico mais ou menos favorável para o BTC seja restaurado.

Criptoanalista e criador do indicador do MVRV, Makhmud Muradov, por outro lado, tem certeza de que o pior ainda está por vir.

Em uma série de tweets, ele observou que o “fundo” para o preço do Bitcoin pode estar em torno de US$3 mil. Muradov também está convencido de que os ciclos de mercado estão cada vez mais longos.

Em sua análise, o analista se baseou no indicador Bitcoin Network Momentum, já que segundo ele, após o atual crescimento das transações na rede do Bitcoin, um crescimento terá lugar – mas não antes de meados/final de 2019.

O hardfork do Bitcoin Cash

O hardfork do Bitcoin Cash, que ocorreu no dia 15 de novembro, tornou-se mais um evento ressonante da semana passada. Como esperado, a Blockchain do principal fork do Bitcoin foi dividida em duas cadeias concorrentes.

O primeiro bloco na Blockchain Bitcoin ABC foi adicionado pela pool de Roger Ver. Diretamente antes do hardfork, o “Jesus do Bitcoin” usou capacidades consideráveis para apoiar a cadeia atualizada.

Depois de algum tempo, o primeiro bloco do Bitcoin SV também foi extraído. No entanto, o suporte para essa implementação não é tão grande, dado que o ativo BCHABC está sendo negociado a um preço significativamente maior que o BCHSV:

Dados relevantes para o dia 18 de novembro. Fonte: Poloniex

… e que o Bitcoin ABC é apoiado por mais mineradores:

Dados fornecidos por: CoinDance

Esse mesmo serviço colocou um aviso de que a maioria das empresas de criptomoedas e corretoras supostamente consideram Bitcoin ABC a implementação “real” do Bitcoin Cash. No entanto, muitas plataformas de negociação adicionaram suporte ao Bitcoin SV – os tickers usados foram BSV e BCHSV.

Quanto ao acúmulo de moedas nas contas dos usuários, a Bitfinex, a Poloniex e, um pouco mais tarde, a Binance estavam entre os primeiros a fazer isso.

A taxa média ponderada atual do Bitcoin Cash é inferior a US$400. A página correspondente da CoinMarketCap contém um aviso de que os depósitos e as retiradas de BCH estão congelados em muitas corretoras.

O aumento na demanda por stablecoins

Em meio ao colapso da capitalização de mercado, houve um abrupto aumento na demanda por stablecoins. Segundo Artyom Deev, analista-chefe da Amarkets, os investidores veem nas stablecoins um “porto seguro” durante períodos de incerteza e isso coloca muita pressão sobre o preço do Bitcoin.

De fato, em meio ao colapso de 14 e 15 de novembro, os volumes negociados das stablecoins aumentaram significativamente. Nesse contexto, no entanto, vale ressaltar que o Tether (USDT), de fato, ainda é um monopolista do segmento, superando significativamente todas as novas stablecoins juntas em termos de capitalização.

Dados fornecidos por: CoinDesk, CoinMarketCap

Autoridades fiscais contra mineradores

Durante auditoria fiscal, empresas de mineração nas províncias chinesas de Xinjiang e Guizhou suspenderam suas atividades.

Para o período da inspeção, as autoridades desligaram as fazendas de mineração da rede. Como resultado disso, as empresas sofreram perdas diárias de 1 milhão de yuans (cerca de US$143,7 mil).

As empresas terão que enrijecer significativamente as regras de trabalho e, em particular, recusar-se a atender a clientes que não forem verificados.

Obviamente, as ações das autoridades chinesas foram uma das razões para a queda do hashrate da rede do Bitcoin, que caiu em quase 20% desde o início da semana.

Mineração a beira do ponto de equilíbrio

De acordo com especialistas da Susquehanna, a maioria dos mineradores do Ethereum estão muito perto do ponto de equilíbrio. Em outras palavras, o custo da eletricidade é aproximadamente igual ao rendimento da mineração de moedas.

O principal fator que reduziu a rentabilidade da extração do ETH com placas de vídeo foi a significativa queda no preço dessa criptomoeda de US$1,35 mil em janeiro para os atuais US$175.

A Fabricante de placas NVIDIA também está sofrendo perdas nesse segmento.

A recusa do Kik de usar Ethereum e a transição para o Stellar

Agora é certo que o Kik abandonará a Blockchain do Ethereum e passará a usar a Blockchain do Stellar que, na opinião dos desenvolvedores do messenger, é mais produtiva.

Em março de 2018, a empresa desenvolveu um sistema para trabalhar em ambas as plataformas. O Ethereum foi usado para maior segurança e o Stellar, para aumentar a velocidade. Para interação entre Blockchains, foi desenvolvido um sistema de swaps atômicos.

Agora a empresa vai parar os swaps atômicos com o ETH. Além disso, a Kin Ecosystem Foundation está trabalhando em uma ferramenta para retirar tokens KIN da Blockchain do Ethereum.

Progresso no desenvolvimento do Lightning Network

A semana teve não apenas eventos negativos: o número de nós Lightning ativos na rede do Bitcoin excedeu 4 mil.

De acordo com o serviço 1ML, atualmente, esses nós conectam 11.335 canais de pagamento, através dos quais um total de 332 BTC é transferido (aproximadamente US$1,87 milhão).

19

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment