O mundo das criptomoedas em dezembro

No final do mês, resumiremos e colecionaremos tudo aquilo sobre o que a comunidade de criptomoedas falou nos últimos dias. O Bitcoin que bate recordes todos os dias, os futuros do Bitcoin e a Coréia do Sul estão em destaque, opiniões polares – da "maior bolha" à venda de negócios para megulhar no mundo de Blockchain, todos os eventos e anélise do mercado de ICOs e muito mais a seguir em nosso resumo.

Publicado em 1 de Janeiro de 2018 por

No final do mês, resumiremos e colecionaremos tudo aquilo sobre o que a comunidade de criptomoedas falou nos últimos dias. O Bitcoin que bate recordes todos os dias, os futuros do Bitcoin e a Coréia do Sul estão em destaque, opiniões polares – da “maior bolha” à venda de negócios para megulhar no mundo de Blockchain, todos os eventos e anélise do mercado de ICOs e muito mais a seguir em nosso resumo.

Os futuros e as Exchanges

— Durante este mês, o CBOE e o CME lançaram futuros em Bitcoin, subsequentemente, a taxa de câmbio da moeda digital subiu, saltando de US$14.509 para US$ 15.704 em 8 minutos. Às 02:11, horário de Moscou, o Bitcoin já estava sendo negociado em US$15.178. Imediatamente após o lançamento, os contratos de futuros passaram por comercializações no valor de US$ 16 mil – maior que o preço do Bitcoin em mercados à vista. Os futuros abrirão as portas do mercado para uma maior variedade de empresas de Wall Street, além de também enfraquecer sua volatilidade.

— O lançamento dos futuros em Bitcoin nos EUA contribuiu para aumentar o interesse na criação de ETFs (fundos negociados em Exchanges) vinculados a moedas digitais. Isto é evidenciado por pedidos submetidos a órgãos estaduais. De acordo com o sistema EDGAR da SEC, foram recebidos novos pedidos da VanEck Vectors Bitcoin Strategy ETF, REX Bitcoin Strategy ETF e REX Short Bitcoin Strategy ETF. Anteriormente, pedidos similares dessas empresas foram retirados depois que a SEC levantou a questão do momento do lançamento, apontando para a “inacessibilidade de ferramentas básicas”.

— Durante dezembro, muitas Exchanges ficaram offline ou fecharam portas a novos usuários, dentre elas se situam grandes corretoras como Bittrex, Bitfinex, EtherDelta, Coinbase, e outras:

  1. Bittrex: como dito anteriormente, a Bittrex suspendeu o registro de novos usuários. A justificativa da empresa para isso é de que o grande afluxo de novos clientes causou problemas à rede e a suspensão foi necessária para que os serviços providos a investidores da plataforma não fossem comprometidos. Além disso, a Exchange passou por um ataque DDoS que a deixou inoperante por cerca de uma hora.
  2. Bitfinex: assim como a Bittrex, a Bitfinex suspendeu a inscrição de novos clientes. A justificativa da plataforma foi dada da mesma forma: o serviço provido a outros investidores não poderia ser comprometido, e por isso, o registro de novas contas teve de ser encerrado. Como pareceu ser um caso recorrente, essa corretora também passou por um ataque DDos.
  3. EtherDelta: o que houve de mais expressivo com essa corretora foi o ataque sofrido no dia 21 de dezembro. Como resultado, a plataforma aconselhou que seus usuários não utilizassem a plataforma, já que os invasores poderiam mudar o DNS da página e roubar dados ou mesmo moedas das carteiras dos clientes.
  4. Coinbase: dezembro foi um mês muito conturbado para a Coinbase. Isso porque a corretora passou por investigações internas relacionadas a vazamentos de informações sobre a negociação de Bitcoin Cash, ficou offline devido ao aumento do mercado, teve o app mais baixado da App Store e lançou sua nova empresa, a Coinbase Cutody

Bitcoin

— No dia 17 de dezembro, o preço do Bitcoin atingiu a incrível marca de US$20 mil. A taxa média ponderada do ativo chegou a US$20.035; sua capitalização de mercado era de US$335,5 bilhões. Ao mesmo tempo, a capitalização de mercado global das criptomoedas ultrapassou outra barreira histórica: US$600,4 bilhões. Vale ressaltar que cinco dias depois, no dia 22 de dezembro, o preço da criptomoeda caiu em mais de 20% em apenas 1 dia e sua taxa média ponderada diminuiu em mais de 23,5%. Essa queda se sucedeu por seis dias consecutivos, retornando aos valores da metade de dezembro. Com isso a capitalização total do mercado de criptomoedas diminuiu em quase US$150 bilhões, sendo que nos últimos dias, seu valor era de US$491 bilhões.

–-  Também durante esse mês, as comissões para transações em Bitcoin aumentarm consideravelmente, chegando a US$26. Isso ocorreu seguindo a conjuctura do rígido tamanho de blocos da Bockchain do Bitcoin, que mesmo após a implementação do sistema SegWit não consegue surportar um grande número de transações.

Coréia do Sul

— O Ministério da Justiça da Coréia do Sul considerou a possibilidade de uma proibição total da negociação das critomoedas. De acordo com o representante da organização, este passo, destinado a proteger os investidores de varejo de ações fraudulentas, é suscetível de encontrar-se com a resistência de outros legisladores, incluindo o Ministério das Finanças.

— Além disso, a Coréia do Sul pretende tentar conter a insanidade em torno do Bitcoin, proibindo menores e estrangeiros de abrir contas em Exchanges e, possivelmente, implementando um imposto sobre ganhos de capital derivados do comércio de criptomoedas.

Estados Unidos

— Logo no dia 1 de dezembro teve um parecer do vice-presidente da Reserva Federal dos EUA, Randal Quarles, que dizia que o dinheiro digital pode representar uma ameaça à estabilidade financeira. “O gerenciamento de riscos pode mitigar o impacto, mas se não houver garantia de que em períodos difíceis o recurso central do sistema de pagamento manterá uma taxa estável em relação ao dólar norte-americano, os riscos de preço e crédito, bem como a liquidez potencial, representam uma maior ameaça a todo o sistema”, afirmou.

— Em 11, a SEC enfrentou algumas dificuldades no desenvolvimento de uma política regulatória para fundos de investimentos criptográficos. Vale destacar que no mesmo dia, a agência prendeu as contas do residente canadense Dominique Lacroix e de sua empresa PlexCorps, acusando-o de fraude disfarçada de ICO, onde ele prometia aos investidores um lucro de 13 vezes em apenas um mês.

— 26 de dezembro foi agitado com outra notícia de impacto: o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou um novo projeto, segundo o qual as transações de câmbio em criptomoedas serão tributadas. Isto se tornou uma das mudanças mais significativas na legislação fiscal do país nos últimos 30 anos. A partir de 1 de janeiro de 2018, todas as transações envolvendo dinheiro digital – incluindo a conversão de uma criptomoeda para outra – estarão sujeitas a impostos compulsórios.

Venezuela

— 28 de dezembro foi marcado pelo líder venezuelano, Nicholas Maduro, que anunciou a criação da criptomoeda El Petro, e, em seguida, declarou que o objetivo do dinheiro digital nacional é “superar o bloqueio financeiro, ajudar o país avançar na questão da soberania monetária e passar a novas formas de financiamento internacional para o desenvolvimento econômico e social da Venezuela”. Vale ressaltar que ao que parece, o El Petro virá custe o que custar, já que o presidente alocou reservas de minérios – ouro e diamantes – e petróleo para que a moeda possa ser concebida.

Israel

— 26 de dezembro foi dia de notícia importante: a Comissão de Valores Mobiliários de Israel (ISA) soltou uma nota que abordava claras intenções de proibir empresas criptográficas de negociar na Tel Aviv Stock Exchange. “Se o negócio principal da empresa é o setor de criptografia, não permitiremos o comércio. Se a empresa já tiver uma licença, sua operação será suspensa”, disse o chefe do departamento, Shmuel Hauser. Vale lembrar também que autoridades israelenses anunciaram a possibilidade de criar uma criptomoeda nacional.

Tecnologias e ICOs

— Bancos do Japão e da Coréia do Sul testarão pagamentos com base na Blockchain do Ripple para pagamentos transfonteiriços nos período de um dia, um dos objetivos da implementação é reduzir os custos em 30%. Se tudo correr bem, o novo sistema de pagamentos poderá realizar os primeiros pagamentos reais entre o Japão e a Coréia do Sul já na primavera de 2018.

— Uma coisa que merece atenção é a ICO BitClave, que em cerca de 32 segundos arrecadou cerca de US$25,5 milhões.

— Falando em ICOs, a startup HydroMiner, da Áustria acredita que resolveu um dos principais problemas relacionados à indústria das criptomoedas. Este teria relação aos altos gastos e custos envolvendo a mineração dos ativos. A solução da empresa se baseia em gerar energia para as mineradoras a partir de hidrelétricas. Com um sinal verde de sua arrecadação – a ICO levantou mais de US$2,8 milhões –, a empresa planeja implementar seus planos até o fim de 2018.

Altcoins

— 17 de dezembro foi dia de recorde: o preço do Dash se atualizou e pela primeira vez na história ultrapassou a marca de US$1,1 mil. De acordo com a Coinmarketcap, a taxa média ponderada para o ativo chegou a US$1.178,18. Além disso, a capitalização de mercado do Dash atingiu o valor recorde de US$9,133 bilhões. Com esses novos dados, a moeda ocupa o 8º lugar na lista geral de criptomoedas.

— 22 de dezembro foi dia de uma marca expressiva para a criptomoeda Ripple, que pela primeira vez ultrapassou o valor do dólar norte-americano. Vale destacar que no dia 30, o Ripple tomou o 2º lugar em capitalização no ranking da CoinMarketCap, desbancando até mesmo o Ethereum. A taxa média ponderada da criptomoeda chegou a US$2,67. É bom ter em mente que no começo do ano, o preço do XRP era inferior a um centavo.

— Por falar em Ethereum, é importante lembrar que essa criptomoeda também bateu um recorde nesse mês, superando o nível de resistência chave em torno de US$500 e atingindo o máximo histórico de US$657,19. No momento, a taxa média ponderada da moeda era de US$657,92 de acordo com a CoinMarketCap.

— A lista está longe de acabar: o Litecoin, Monero e Waves também superaram antigos recordes. De acordo com a CoinMarketCap, ao dia 8 de dezembro, o preço do Litecoin – anteriormente posicionado em torno de US$90 – US$100 – decolou e alcançou US$130 com crescimento contínuo que só parou quando o ativo alcançou a marca de US$238. Com o Monero não foi diferente: a moeda bateu o recorde de US$300 após declarações do criptoentusiasta McAfee, em que o mesmo afirmou que o XMR poderia competir com o Bitcoin. Por fim, há o Waves. É interessante notar que com o lançamento da Waves NG – nova corretora descentralizada Waves – o preço do ativo decolou, alcançando a taxa média ponderada de US$7,68.

Forks

— Em 12 de dezembro ocorreu um hardfork experimental: o Super Bitcoin, realizado pelos desenvolvedores chineses sob o slogan “Make Bitcoin Great Again”. A criptomoeda prevê um aumento no tamanho do bloco para 8 MB, a integração da Lightning Network e de tecnologias Zero-Knowledge Proof (evidências de divulgação zero) e Contratos Inteligentes. O volume total da emissão do Super Bitcoin será de 21.210.000 milhões de moedas.

— Em 27 de dezembro, mais um hardfork foi concluído com sucesso na rede Bitcoin. Seu nome? Bitcoin GOD. O que se sabe até agora? Bom, primeiramente que o Bitcoin God (GOD) não almeja substituir o Bitcoin oficial: ele tem sua própria equipe de desenvolvimento, encabeçada pelo empresário chinês, Chandler Guo. Em segundo lugar, que o GOD possui vantagens técnicas em relação ao BTC, além de utilizar um modelo de mineração radicalmente diferente: PoS em vez de PoW.

— Como já deve ter dado pra perceber, dezembro foi um mês agitado e com muitos hardfork: no dia 29, foi a vez do “novo” hardfork SegWit2x. Yap Thurlow é o fundador do projeto, e sua ideia é retomar e refinar o suspenso projeto SegWit2X, criando um “Bitcoin realmente anônimo e instantâneo”. Afirma-se que a finalidade do trabalho não é a substituição da rede original, e sim a coexistência efetiva das duas redes com diferentes propósitos.

O que há de interessante

Saindo um pouco de toda a seriedade em torno das criptomoedas, vale ressaltar que dezembro foi um mês no mínimo interessante, onde notícias curiosas ou até mesmo inspiradoras foram compartilhadas por várias plataformas midiáticas, entre elas:

O cataclismo de gatos! No dia 4 de dezembro, os populares CryptoKittens já representavam cerca de 11% de todas as transações da Blockchain do Ethereum. O alvoroço em torno dos “mascotes” foi tanto que a ICO SophiaTX teve de ser adiada em decorrência do congestionamento causado pelos gatinhos. Teve até gente testando protocolo para parar o cataclismo.

A linda história do amante de abacaxis mais querido dos últimos tempos! Em 4 de dezembro, alguém registrou o domínio pineapplefund.org. Posteriormente – no dia 13 – uma discussão no Reddit em que alguém afirmava que doaria 5.076 BTC a instituições de caridade foi criada. Acontece que o filantropo responsável nunca almejou se tornar mega rico, e vendo toda a fortuna ganha através da criptomoeda, decidiu fazer essa boa ação.

“Eu gosto de abacaxis. A coisa ruim sobre eles é que você não pode comer muito.”

 

 

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment